E-session :: Ana e Vinicius



20 de junho de 2016 - Postado em: E-Sessions

Vou escrever só uma linha, pois depois do lindo vídeo do pedido de casamento que o Vinícios fez para a Ana aqui, todo mundo quer saber mais sobre essa linda história de amor.

Acreditem, o noivo nos contou com detalhes de arrancar suspiros. [deu mais de um linha, mas vale conferir tudinho]

“Bom, eu namorei desde muito cedo (16 anos) e emendando namoro atrás de namoro, se foram 8 anos e finalmente estava solteiro. Virei solteiro convicto… festas atrás de festas… com um único objetivo: dominar o mundo! Criei uma marca, a #LBÇA… um grupo de amigos com o mesmo objetivo… fazer lambança… e assim eu achava que tinha a vida perfeita.
Um dia, indo pra mais uma festa, parei meu carro em uma rua, Rua Dona Cecilia, e passou por mim um carro com um rapaz dirigindo e uma mulher muito bonita de carona. Eles entraram na garagem em frente aonde parei o carro.
Tive a sensação de que a mulher me olhou, mas logo pensei que o ego estava grande demais… afinal ela estava acompanhada, entrou pra dentro do prédio… vida que segue e fui pra festa…
A mulher bonita era a Ana, e abro um parenteses para contar o lado dela da história. A Ana é uma mulher muito especial. Aos 17 anos engravidou, se dedicou a faculdade, formou em Terapia Ocupacional, e mesmo com toda responsabilidade de criar um filho tão nova, ela teve coragem de largar tudo, e ir atrás do seu sonho de ser Designer de Joias. Ela vivia um momento especial em sua carreira; sua marca, Ana Tomich Design, estava crescendo, assim como suas vendas e estava realizando seus sonhos, porém o término muito conturbado de uma relação acabou balançando isso tudo.
Esse foi o momento em que nossos carros se cruzaram: quem dirigia era o irmão dela, com quem ela começou a sair buscando momentos de alegria e paz enquanto tentava andar com sua vida e seguir em frente.
E Não é que ela realmente me olhou?! e de acordo com ela, algo diferente aconteceu em seu coração e veio uma certeza de que precisava me conhecer.
O irmão dela, como um bom irmão deve ser, foi contra… “Conhecer cara na rua? Isso não é coisa de mulher de família”
Mas diferente de mim, que desisti do que vi e fui para a festa, a Ana é uma mulher muito determinada e conseguiu, com um argumento muito lógico, convencê-lo: “Eu já fiz isso antes? Não! então pronto! me responde, se uma mulher de família, trabalhadora e gente boa deixasse um bilhete no seu carro, o que você ia achar?”. Aí pronto… ele não teve como atrapalhar mais e ela deixou o tal bilhete no meu carro:
“Olá Moço bonito. Estava c/ meu irmão agora há pouco entrando aqui na garagem em frente, quando você estava saindo do carro. Gostei de você, Beijo, Ana.”
Quando cheguei no carro e vi aquele bilhete, fiquei desacreditado.
- Será que era a mulher bonita do carro?
- Será que ela é bonita mesmo?
- Putz, mulher que deixa bilhete em carro não deve valer nada (machista pra cacete)
E aos poucos fui respondendo a essas perguntas. Era uma mulher linda, com um filho lindo, trabalhadora, inteligente, determinada, carinhosa, com valores e princípios iguais aos meus, etc etc etc (posso ficar horas falando).
Mas não foi fácil ver e aceitar isso tudo, afinal eu estava na vida “perfeita”, certo? E me envolver com uma mulher que é mãe? E acabou de sair de um noivado? Era muitaaaa coisa pra assimilar e absorver. E dessa forma eu acabei enrolando a Ana por 10 meses, até a paciência dela quaseeee acabar e eu perceber que minha vida era boa sim, mas não perfeita e que não podia mais viver sem ela.
Começamos a namorar e foi um BOOM… Tudo bateu… famílias, amigos, ideias, planos, tudo… Em muito pouco tempo já estava claro que ia ser pra sempre..
E assim que essa certeza bateu, começamos a planejar um futuro. Começamos a nos estruturar financeiramente e a olhar apartamento, mas era uma decepção atrás da outra e já estávamos decididos a poupar grana e no futuro procurar novamente.
Mas aí apareceu um último apartamento… antigo, acabado… literalmente destruído! Mas fomos visitá-lo e realmente estava em uma situação péssima, com donos maravilhosos, mas um caco. isto pra quem não tem visão…. eu e a Ana vimos ali um potencial absurdo e tivemos certeza na hora: esse é nosso futuro lar!
Ahh… pequeno detalhe… o endereço do apto: Rua Dona Cecilia… a Rua onde a Ana deixou o bilhete no meu carro!
Fizemos um lance, os proprietários aceitaram… tudo certo né? Claro que não… Deu tudo errado!
Logo que começamos a verificar a papelada de aquisição descobrimos que Ana estava com nome bloqueado na justiça, faltava documentação do imóvel, dos proprietários e daí em diante foi uma bola de neve..
Assim que os problemas começaram eu fui atrás de proteção… Descobri que existe uma santa que se chama Santa Cecilia… Protetora dos músicos e artistas. Comprei uma imagem da Santa Cecilia e dei pra Ana (que não havia se atinado para o fato de o apartamento ser na mesma rua), que era um sinal de que eu tinha certeza de que ali começaríamos nosso primeiro lar, e mais que isso, nossa família.
E não é que a Santa Cecilia é boa mesmo? Logo que dei a Santa pra Ana, as coisas começaram a se resolver, nome desbloqueado, documentação regularizada, tudo! impressionante! e assim compramos nosso apartamento.
Como disse, a situação em que o apartamento se encontrava era deplorável e quase que imediatamente começamos uma reforma… Com a previsão de entrega da reforma, veio o plano do casamento, mas faltava um detalhe né? Ficarmos NOIVOS…
Nossa historia era muito linda e merecia um pedido a altura. Um pedido que retratasse todo nosso amor e suas particularidades. A Rua, A Santa, os Bilhetes, o(a) Moço(a) Bonito(a).
E assim deixei a imaginação fluir.
Primeiro a data, TINHA QUE SER NO DIA DE SANTA CECILIA NÉ?! 22 de novembro.
O conceito já estava pronto, queria pedir a Ana em casamento do ponto de nosso primeiro bilhete, até dentro de nosso novo lar…
Dai foram idas e vindas de como executar isso, de como tornar esse sonho realidade e grande parte foi decidido nos 45” do segundo tempo, a adrenalina foi a mil…
E aí eu pensei: Eu não vou ver grande parte do meu pedido! A Ana vai ficar tão em choque que não vai ver todos os detalhes! ISSO PRECISA SER REGISTRADO.. E PRECISA SER BEM FEITO.
Eu estava ficando maluco já.. Quem ia registrar isso? Como?… mas ai, novamente as coisas brilhantemente se encaixaram.
A Ana marcou um encontro com os fotógrafos da Agência UAI, que ela gostaria que fizessem nosso casamento e aí pronto, peguei o cartão do Edu e ai foram algumas trocas de e-mail e uma reunião com toda equipe poucas semanas antes do dia “D” e foi sensacional. A troca de ideias e a forma que a agencia abraçou a historia foi impressionante.
Agora era só esperar chegar a data, tirei até férias pra conseguir fazer tudo.
Um parênteses para falar da aliança. A Ana é Designer de Joias, e das boas, e é claro, eu não poderia pedi-la em casamento, com um anel que não fosse dela. Mas e agora, comooo pedir uma pessoa em casamento com um anel que ela fez e sem que ela saiba?!?! Calma que tudo tem um jeito. Intimei a prima dela (quase irmã) Ana Marcia para ser cumplice, e ela por sua vez pediu que um colega de trabalho, o famoso Fernando, virasse o Falso cliente.
Imagina um cliente que a Ana curtiu.. afinal o cara aceitava todas suas opiniões, sabia todos os gostos da futura noiva e que por sinal eram iguais ao dela… magico né? Todooo dia a Ana me falava deste Fernando, estava começando a ficar com ciúmes kkkkk..
Dia 22/11 – Os cartazes (bilhetes) feitos pelo meu grande irmão da vida Guilherme Lima ficaram lindos, Caio acabava de pegar a aliança escondido e levar pra mim (haja coração), os amigos e familiares que convidei para o pedido estavam chegando, os balões estavam cheios, as fotos sendo penduradas (até o últimooo minuto), era hora de começar o pedido.
Havia falado pra Ana que era um almoço na casa do meu chefe, e que a buscaria as 11hrs. 10h50 estavam todos posicionados na rua e eu me arrumava para encontra-la.
Mandei o primeiro áudio: “Amor, estou saindo de casa”. 2 minutos depois o segundo(moramos bem perto): “Amor, desce pela rua da garagem, não tinha como parar em frente ao seu prédio”.
Bom, como é claro, tinha que ter mais uma emoção pra testar meu coração, pouco tempo depois veio a resposta da Ana:
- Decepção
IMAGINAAAAA MEU CORAÇÃO… quantas coisas passaram pela minha cabeça.. ELA ODIOU??! QUE QUE ACONTECEU?!?!
Foi um longo minuto até chegar as mensagens seguintes:
- KKK
- Descendo
FOI O MALDITO CORRETOR AUTOMÁTICO.
Bom, o resto é só assistir o vídeo. [e o link está aqui]

E tem mais imagens lindas, confiram aqui os cliques da Agência Uai da e-session do casal:

Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-001 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-002 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-004 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-005 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-006 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-007 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-011 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-012 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-013 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-014 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-015 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-017 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-018 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-019 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-020 Exp_Ana_Vinicius_Agencia_Uai-021

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Por

Um comentário

  1. […] íntima) para a Ana (reveja clicando aqui), e da e-session linda para comemorar o sim (dá pra ver aqui), chegou o grande dia e é claro que eu tinha que mostrar aqui no […]

Deixe seu comentário



*Obrigatório. O email não será publicado.


Voltar ao topo